Como ser um desenvolvedor e ter sucesso na carreira?

Como ser um desenvolvedor e ter sucesso na carreira?


Ingressar em uma nova carreira pode ser bastante desafiador para qualquer profissional.

Seja para um(a) estudante ou para um(a) profissional que pretende mudar de área de atuação, conhecer a fundo o que o espera em sua nova carreira pode trazer muito mais tranquilidade para o processo.

Se você deseja tornar-se um programador ou programadora, esperamos que este conteúdo o(a) ajude a tomar as melhores decisões práticas relacionadas a esta transição.

Ao longo deste conteúdo, expomos o que um(a) desenvolvedor(a) web faz, como tornar-se um(a), quais habilidades são necessárias para ter sucesso na carreira e como se preparar da melhor maneira possível para o seu ingresso neste mercado tão vasto.

Vamos lá?

O que um desenvolvedor faz?

Um desenvolvedor ou desenvolvedora é o profissional de tecnologia da informação responsável por planejar, desenvolver, testar e fazer a manutenção de aplicações web, como sites, softwares e aplicativos, voltados para uso do público geral ou de sistemas internos de empresas.

Entre as atividades mais comuns deste profissional estão a construção de sites, de redes de sistema, aplicativos, softwares de uso corporativo interno, manutenção de banco de dados, integrações, análise de dados e o desenvolvimento de algoritmos voltados à inteligência artificial.

Como ser desenvolvedor

Para ser desenvolvedor é preciso, antes de qualquer outra coisa, ter muita disposição para o estudo e para a busca constante de conhecimento, uma vez que tecnologia é uma área que está em constante mudanças e evoluções.

Abaixo, listaremos alguns passos básicos para que você possa ingressar no mercado de trabalho de tecnologia da informação (TI) da melhor forma possível, preparado(a) para os primeiros e mais comuns desafios relacionados às profissões disponíveis nesta área.

Vamos lá?

1. Desenvolva o seu raciocínio lógico

É imprescindível que um programador ou programadora tenha um raciocínio lógico afiado.

Essa habilidade, geralmente, é desenvolvida durante o estudo de lógica da programação, um conhecimento básico e primário que todo profissional de tecnologia deve ter antes de começar qualquer tipo de estudo especializado — ou até mesmo antes de começar a programar.

Por mais que existam uma infinidade de diferentes tecnologias e linguagens de programação que diferem muito entre si, a lógica por trás de todo o processo de construção de um código é o mesmo: é preciso aprender a pensar e organizar sequências lógica de instruções, seja usando quaisquer dispositivos e tecnologias.

2. Entenda quais são os tipos de desenvolvedores

Existem, também, diferentes áreas onde os desenvolvedores podem atuar, sendo elas diferentes microssetores da própria programação.

Abaixo, listaremos os três tipos mais populares de desenvolvedores web.

Desenvolvedor front end

O desenvolvedor front-end é aquele responsável por desenvolver a parte visível e interativa das aplicações.

Em outras palavras, este é o profissional que lida com toda a parte de uma aplicação que pode ser manuseada pelo usuário final, como sua interface gráfica e tudo o que ela contém.

Pense, por exemplo, em um website comum: toda a parte com a qual você pode interagir é responsabilidade do desenvolvedor front-end, também chamado de desenvolvedor client-side.

Desenvolvedor back end

Ao contrário do front-end, o desenvolvedor back-end é aquele responsável por toda estrutura interna de uma aplicação.

Seguindo o exemplo anterior de um website comum, é possível compreender que ele não funciona somente através de sua “capa”, ou interface: há também uma estrutura interna, ou um esqueleto, por trás de todas as suas funções que é extremamente importante para seu funcionamento pleno.

Integrações com servidores, bancos de dados, scripts que permitem que determinadas funções cumpram seu papel — tudo isso é responsabilidade do desenvolvedor back-end, também chamado de desenvolvedor server-side.

Desenvolvedor full stack

Como um híbrido entre o front-end e o back-end, o desenvolvedor full stack surge como uma solução muito eficiente para as empresas: um único programador ou programadora capaz de lidar tanto com a estrutura interna de uma aplicação quanto com sua parte externa.

Esse profissional é muito disputado no mercado, mas é preciso pontuar que sua função não é, necessariamente, ser o único responsável por grandes projetos ou pelo desenvolvimento de aplicações.

Um(a) desenvolvedor(a) full stack deve trabalhar em conjunto com especialistas em ambos os lados e ser parte de uma equipe para que suas habilidades possam ser expressas da melhor maneira.

3. Pratique escrever códigos

Se uma das mais básicas funções de um programador ou programadora é, de fato, escrever códigos, essa deve ser uma habilidade que este profissional precisa dominar.

Como desenvolver um texto em um idioma estranho, é preciso alguma prática para que a sua escrita de códigos seja fluente. E isso só é possível com muito treino.

Programar de maneira rápida e funcional é um ponto importante na carreira de um desenvolvedor ou desenvolvedora e, embora isso só seja conquistado com o tempo, praticar em tempo livre pode ser uma ótima pedida.

4. Procure comunidades de desenvolvedores

Uma das melhores características do mercado de tecnologia da informação são as grandes comunidades de profissionais que podem ser acessadas ao redor do mundo.

Espaços virtuais como o repositório de códigos GitHub, fóruns do Reddit, o próprio Stack Overflow e plataformas como o Geeklist são comunidades que promovem o aprendizado e colaboram muito para o ganho de experiência de programadores e programadoras em início de carreira.

Tanto o contato com profissionais mais experientes quanto a oportunidade de acompanhar projetos e melhorias em tempo real são ótimas formas de se integrar melhor no mercado fora do horário comercial. 

Invista em estar presente nestes espaços.

5. Invista em cursos de qualidade

Por mais que o desenvolvimento web seja uma área em que é totalmente possível se desenvolver muito como um autodidata, investir em bons cursos pode ser um grande diferencial no início da carreira.

Aprender com o auxílio de um tutor especializado pode acelerar a sua curva de aprendizado e trazer mais dinamismo a um conhecimento que, de outro modo, poderia ficar um pouco mais restrito.

Os cursos também são ótimos lugares para conhecer outros profissionais e investir em networking, construir uma rede de colegas e se inserir no mercado.

Com o curso de programação full stack da Kenzie Academy Brasil, por exemplo, você tem a oportunidade de fazer parte do banco de talentos da Kenzie, que possui parcerias com grandes empresas a fim de empregar seus alunos e dar-lhe mais oportunidades de trabalho.

6. Aprenda um novo idioma

Se você tem o mínimo de familiaridade com o universo da programação, já deve ter reparado que a maioria, senão toda a totalidade das linguagens de programação, são desenvolvidas em inglês.

Essa padronização linguística facilita a uniformização do mercado por todo o mundo, tornando as tecnologias acessíveis a diferentes nações sem que a barreira do idioma atrapalhe a velocidade da informação.

É claro que é possível ingressar no mercado de programação sem ser necessariamente fluente no inglês, mas esse é um conhecimento que pode facilitar muito a vida de um(a) desenvolvedor(a) web.

Conclusão

Apesar de todas as dificuldades envoltas nos primeiros momentos de uma nova carreira, este pode ser um processo extremamente prazeroso e gratificante quando feito com tranquilidade e vontade de crescer em seu novo mercado.

Após a leitura deste guia, esperamos que as suas decisões possam ser feitas com mais assertividade de que o seu ingresso no mercado de trabalho de tecnologia seja de muito sucesso!

Se você gostou desse conteúdo e gostaria de entrar na área de programação, eu recomendo você conhecer mais sobre a Kenzie Academy Brasil.

+1

Escreva o primeiro comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *