Como se tornar programador: faculdade, habilidades e o que estudar?

Como se tornar programador: faculdade, habilidades e o que estudar?


Você deve conhecer pessoas programadoras no seu círculo social e a pergunta desafiadora é: ela está desempregada ou busca uma recolocação profissional há muito tempo? Dificilmente a resposta será sim.

Isso porque a programação se mantém em alta, mesmo nos países que passam por crises econômicas, como o nosso, já que a demanda por inovação, presença digital, otimização de processos nas empresas é quase inesgotável, tornando a pessoa programadora mais que necessária para colocar a mão na massa.

Hoje vamos falar sobre esta promissora área, quais os caminhos e como se tornar programador ou programadora.

Como se tornar um programador?

Existem alguns conhecimentos técnicos fundamentais para se iniciar na programação, como as  linguagens de programação mais usadas, tecnologias, programas e ferramentas utilizadas nos processos.

Afinal, como começar a programar?

A resposta mais fácil para esta pergunta é… programando. Isto mesmo! Muitas pessoas começam exatamente assim, na curiosidade e atrevimento (no melhor sentido da palavra), testando, experimentando, estudando por conta em casa.

O que um programador faz?

Uma pessoa programadora necessariamente exercita e aprimora seu raciocínio lógico, desenvolvendo uma solução, um produto final tecnológico, como uma aplicação, o desenvolvimento de sistemas web, desktop ou mobile.

Veja o que é preciso para começar a programar:

Qual faculdade escolher para se tornar um programador?

Fazer faculdade de programação é um dos caminhos que você pode escolher trilhar, mas não é o único para se chegar lá.

Se você já sabe do que gosta e conhece seu perfil, fica mais fácil de decidir qual curso e onde estudar. Mas lembre-se de avaliar também seu tempo e o investimento que será necessário, para ter certeza de que ambos se encaixam na sua realidade.

  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Este curso também pode ser encontrado em nível tecnólogo, ou seja, tem uma duração menor do que os quatro anos que a graduação exige.

Durante a formação, o aluno passará pelos principais tópicos e saberá mais sobre banco de dados, desenvolvimento de software, redes de dados, sistemas operacionais, além de linguagens de programação, como Java e Python.

  • Ciência da Computação

O curso universitário de Ciência da Computação possibilita uma longa vivência com outros alunos(as) e futuros profissionais da área, e os prepara para criar programas, planejar, executar e fazer a manutenção de softwares.

As matérias abordadas durante este curso são mais específicas do que em análise e desenvolvimento de sistemas. 

Você se aprofundará muito mais em matemática e física básica, álgebra linear, estatística, passando por eletrônica para computação, algoritmo e estruturas de dados, sistemas digitais, além, claro, das linguagens de programação.

  • Engenharia de Software

Este curso é o mais longo da lista e tem duração de 5 anos. A profundidade de temas como fundamentos da engenharia de software e gerência de configuração e evolução de software é o que o diferencia das opções citadas acima.

Além disso, os estudantes também passarão por disciplinas ligadas à matemática, redes de computadores, banco de dados, sistemas operacionais e arquitetura de computadores.

Onde estudar para ser um programador?

Mesmo com universidades cada vez mais conectadas com o mercado, os cursos de nível superior oferecem uma grande bagagem teórica em tecnologia, mas podem deixar a desejar na vivência prática do mercado.

Para trabalhar com programação não é obrigatório ter diploma universitário, por isso, onde estudar para se tornar um programador vai depender do caminho que se quer seguir dentro das grandes possibilidades que a área oferece, pois, muitas vezes, cursos independentes online dão conta de preparar a pessoa para a especialidade que ela deseja

Qual é o primeiro passo para se tornar um programador?

O primeiro passo é buscar informação, conversando com pessoas que estudam e trabalham com isso, para saber mais como é na prática, saber sobre o mercado de trabalho e todo o universo da programação, pois, como já dito, trata-se de uma ampla área, que oferece diversas possibilidades de atuação.

Outras dicas para os iniciantes são: navegar e contribuir quando possível em plataformas colaborativas como a GitHub, de hospedagem de código fonte; consumir conteúdo sobre tecnologia, como nosso blog; ouvir podcasts e acompanhar grupos no facebook, etc.

Quais habilidades bons programadores precisam ter?

Um bom raciocínio lógico já é uma habilidade valiosa para quem deseja se tornar programador(a). 

Pessoas com interesse em tecnologia e inovação, e perfis curiosos sobre como as coisas são, costumam se dar bem na área. Vejamos outras habilidades:

  1. Comunicação

É a base para tornar qualquer projeto viável. A comunicação precisa existir, de forma clara e objetiva, de modo que a transmissão das ideias aconteça sem dificuldades e que todas as pessoas envolvidas as compreendam.

  1. Trabalho em equipe

É importante entender que a pessoa programadora nunca trabalhará só, portanto, encontrar ferramentas para que o trabalho em equipe se torne eficaz é uma habilidade a ser adquirida por quem quer começar a programar.

  1. Empatia

Se meu trabalho depende do outro, e vice-versa, logo, cada processo é igualmente importante. É preciso, portanto, empatia para se relacionar em equipe e compreender que cada profissional tem suas necessidades e especificidades.

  1. Criatividade

Criatividade tem tudo a ver com inovação, que por sua vez, é o um dos pilares mais importantes da tecnologia. A habilidade de construir soluções criativas é importante, pois gera destaque para o profissional, perante os demais.

Esta habilidade pode ser fator determinante, mais do que o domínio de inúmeras linguagens de programação, na hora de ocupar uma vaga de trabalho.

  1. Resolução de problemas

Quem pensa fora da caixa e possui perfil criativo, consegue desenvolver uma habilidade essencial para programar: resolver problemas. Afinal, o trabalho da pessoa programadora é basicamente criar algo que será a solução para um problema.

  1. Frameworks

Existem tarefas em uma aplicação que não precisam ser desenvolvidas do zero toda vez que um projeto novo se inicia. 

Para isso existem os frameworks. Eles são uma estrutura inicial, um ponto de partida com todos os aspectos comuns à maioria das aplicações. 

A partir dele, as aplicações são criadas com suas funcionalidades específicas. Dominar frameworks de desenvolvimento é fundamental para a garantir produtividade.

  1. Computação em nuvem

Softwares precisam de infraestrutura para serem executados. Essa infraestrutura de servidores tem um preço alto de aquisição e manutenção. Para muitas empresas, não é economicamente viável absorver este custo. A computação em nuvem vem para resolver este problema. 

Ao invés de hospedar sistemas de software in house, os sistemas são hospedados em servidores virtuais que são pagos por demanda. 

Essa é uma alternativa excelente, pois seu custo é bem menor do que manter infraestrutura própria, além de outros benefícios como a possibilidade de aumentar e diminuir a quantidade de hardware necessário conforme a demanda. 

  1. Banco de dados

Apesar de não ser o foco principal da atuação de um programador, o conhecimento de bancos de dados é imperativo para sua atuação.

Na fase de arquitetura do sistema, a organização dos dados é fundamental e a compreensão de como os bancos de dados funcionam é de extrema importância.

  1. Algoritmos

Algoritmos são uma maneira de pensar; métodos organizados para a solução de problemas. 

Existem diversas formas de escrever código para desempenhar uma função. Entretanto, o melhor código é aquele que usa a menor quantidade de recursos de hardware e termina sua execução mais rápido. 

A habilidade para chegar a esse objetivo é justamente a análise de algoritmos. 

Quais linguagens os programadores precisam aprender?

Como já dito aqui no blog, cada linguagem tem sua aplicação específica para determinados resultados e antes de começar a estudar, é preciso saber quais são as mais alinhadas ao seu objetivo profissional. 

Veja as principais:

  • Ruby

Ruby é uma linguagem de programação orientada a objetos e foi criada com o objetivo de fazer com que os programadores entendam muito rapidamente seu funcionamento. 

É uma linguagem fácil, mas potente. Sua versatilidade é o que tem atraído muitos profissionais. Ela pode ser usada para criar sites, aplicações desktop, sistemas embarcados, mobile, entre muitos outros. 

O framework Ruby on Rails é largamente utilizado para o desenvolvimento de aplicações web e é um dos motivos da popularização da linguagem. 

  • Python

Além de ser a linguagem de escolha para quem está aprendendo a programar, ela possui uma gama de aplicações impressionante. 

Python é usado no popular framework Django para desenvolvimento de aplicações web. Por seu desempenho considerável, também tem sido usada largamente em aplicações de aprendizado de máquina e inteligência artificial. 

  • Java

Java é a linguagem de programação mais utilizada atualmente. Ela é base para diversos frameworks e um sem fim de aplicações. 

É uma linguagem também orientada a objetos, fortemente tipada. O grande diferencial dela e um dos motivos de sua popularização é que ela é interpretada por uma JVM, máquina virtual Java. 

Isso significa que o código escrito em Java pode rodar em qualquer dispositivo, bastando para isso que ele tenha uma JVM instalada. O código é escrito, interpretado na JVM para a linguagem de máquina específica para o dispositivo. 

Isso tira da pessoa programadora a preocupação com a arquitetura do sistema onde seu código será executado. 

  • Kotlin

Kotlin é uma linguagem de programação orientada a objetos multiplataforma. Seu principal uso é para o desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis. 

Além disso, ela é a linguagem oficial do sistema Android. 

  • JavaScript

É a linguagem mais utilizada para aplicações front-end. Diferente das linguagens mencionadas acima, é uma linguagem estruturada. 

Associada ao HTML e CSS é a principal linguagem para aplicações web front-end. 

  • TypeScript

O TypeScript foi desenvolvido pela Microsoft. É um superconjunto sintático da linguagem JavaScript, isto é, foi baseada no JavaScript, mas adiciona a ela tipagem estática com a finalidade de organizar melhor o código e simular a orientação a objetos. 

O TypeScript está ganhando uma grande popularidade por ser parte dos principais frameworks de desenvolvimento web utilizados atualmente, como o Angular e o React. 

  • Go

Go é uma linguagem de programação compilada e seu foco é em produtividade e em programação concorrente. 

A sintaxe do Go é bastante semelhante a da linguagem C, a base para sua criação. No entanto, ao contrário do C, em GO, o programador não precisa se preocupar com gerenciamento de memória. 

O foco principal da GO é o desempenho e, por isso, é uma linguagem a se considerar em aplicações que exigem rapidez no processamento. 

  • Swift

Da mesma forma que o Kotlin, o Swift é uma linguagem de programação utilizada para desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis. 

Foi desenvolvida pela Apple e é a linguagem de escolha para desenvolvimento de aplicativos para iOS. 

Qual é a rotina de trabalho dos programadores?

Bem, isso irá depender do modelo de trabalho escolhido pela pessoa. Basicamente, a rotina é ter uma comunicação constante com a equipe interna, alinhada com o cliente, para entregar o melhor produto final.

Como conseguir o primeiro emprego de programador?

Atualize seu currículo e crie contas nos principais sites de empregos e em redes como o LinkedIn, para se manter atualizado sobre o mercado e sobre processos seletivos.

Networking é fundamental para a área, mas pode levar um tempo, portanto, desde o início, invista nele, conversando com outros profissionais e sendo ativo na comunidade de desenvolvedores.

Como programadores podem acelerar sua carreira em tecnologia

Não se acomodar e se aperfeiçoar sempre que possível, uma vez que este mercado exige isto. Há sempre uma novidade tecnológica e novas formas e ferramentas para se fazer as coisas.

É possível acelerar sua carreira, principalmente se você conseguir agregar suas habilidades pessoais aos conhecimentos técnicos, e, para estes, a Kenzie Academy pode te ajudar. 

Já viu nossa grade curricular, que abrange tecnologias front end e back end? Ensinamos as principais linguagens e tecnologias de programação, para te preparar para o mercado de trabalho em 12 meses.

Conclusão

Para se tornar uma pessoa pronta para programar, é necessário partir da investigação interna, na busca do autoconhecimento para saber onde se deseja chegar. Somente assim, você saberá quais passos seguir, por onde começar a estudar e se aprofundar a partir disso.

Vimos que a formação em ensino superior não é mandatória, mas que perfis curiosos e criativos se destacam dentro da programação. Aprende mais quem busca informação e faz acontecer, ou seja, programando, colocando a mão na massa.

Se você quiser saber mais sobre tecnologia e programação, fique ligado no nosso blog!

+1

Escreva o primeiro comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *