Desenvolvedor de Software

Desenvolvedor de software: o que é, o que faz e quanto ganha?


Se você chegou aqui, provavelmente possui algum grau de interesse na profissão de desenvolvedor de software, uma das mais importantes e rentáveis ocupações profissionais dos nossos tempos.

No conteúdo de hoje, explicarei detalhadamente o que é um desenvolvedor de software, ou desenvolvedora, qual a diferença para este profissional de um programador, o que este tipo de profissional faz na prática e qual a média salarial para cada faixa de experiência.

Vamos lá?

O que é um desenvolvedor de software?

Desenvolvedor(a) de software é o(a) profissional responsável por planejar, escrever, desenvolver e testar uma aplicação web, seja ela um software, um aplicativo, um website ou um sistema operacional, entre outras opções.

Este profissional é um dos profissionais mais importantes de todo o setor tecnológico, uma vez que avanços como inteligência artificial, por exemplo, não existiriam sem o empenho de programadores capacitados.

O que é preciso para ser um desenvolvedor de software?

Se você deseja tornar-se um(a) desenvolvedor(a) de software, o primeiro passo é compreender que uma rotina de estudos fará parte da sua vida profissional para sempre.

Existe, ainda, um leque de conhecimentos básicos que um(a) desenvolvedor(a) deve dominar para dar um start na sua carreira antes de, propriamente, especializar-se em uma frente de programação particular.

Abaixo, listaremos as principais categorias de programação nas quais um(a) desenvolvedor(a) ou programador(a) pode se especializar.

Front-end

O profissional front-end é o aquele responsável pelo desenvolvimento de toda parte visível do site; tudo aquilo com o que o usuário pode interagir.

A construção de interfaces gráficas e de scripts dinâmicos de ação são algumas das funções do(a) desenvolvedor(a) front-end, que possui seu escopo de trabalho diretamente conectado com noções de user experience e design.

Também podemos definir a programação front-end por aquela que é interpretada pelos navegadores, que transforma todo este conjunto de códigos em páginas web.

Back-end

Ao contrário do front-end, mas não muito distante, o profissional back-end é aquele responsável por tudo aquilo que está por trás daquilo que o usuário vê, ou seja, a estrutura interna de uma aplicação.

Entre os conhecimentos que um(a) desenvolvedor(a) back-end deve ter estão domínio de banco de dados, integrações, envio de recebimento de informações, registros, análise de padrões, entre outros.

Full-stack

Este é o profissional mais híbrido do mercado: ele está habilitado a exercer seu trabalho tanto como front quanto como back-end.

O(a) desenvolvedor(a) full stack é um dos profissionais mais versáteis do mercado de tecnologia da informação e tem a vantagem de poder acompanhar a evolução de um projeto em todas as suas etapas.

Mas, evidentemente, como é impossível ser totalmente especialista em duas áreas, os desenvolvedores full stack, de modo geral, possuem mais habilidades em um lado do que no outro.

Mobile

Com a crescente expansão do mercado de produtos móveis, os(as) desenvolvedores(as) mobile ganharam grande destaque no mercado de TI.

Este é, inclusive, um dos campos de atuação mais bem remunerados entre os profissionais da área e a disputa por bons programadores deve aumentar ainda mais nos próximos anos.

Quais as 5 principais linguagens usadas pelos desenvolvedores de software?

Como citei algumas linhas acima, um(a) desenvolvedor(a) de software pode ser especializado em uma área específica dentro da sua profissão, mas há uma gama de conhecimentos básicos que todo profissional deve saber para ingressar no mercado.

Entre estes conhecimentos estão as cinco principais linguagens de programação utilizadas por profissionais de desenvolvimento web.

Vamos a elas?

JavaScript

Esta linguagem de programação, criada para trazer mais dinamismo às páginas web de meados dos anos 90, chegou para ficar: o JavaScript, hoje, é uma das tecnologias mais versáteis do mercado.

Graças a bibliotecas e frameworks baseados em JS, atualmente é possível utilizar JavaScript até mesmo em sistemas back-end de aplicações, mesmo esta sendo uma linguagem originalmente voltada às interfaces.

HTML/CSS

Estas duas linguagens, respectivamente de marcação e de estilização, são as grandes responsáveis pela internet como a conhecemos no presente.

De modo geral, os websites são construídos a partir de uma marcação HTML e uma estilização CSS, que confere estilo às páginas estáticas e sem elementos visuais.

Apesar de uma origem tão longínqua, estas duas linguagens, apesar de não serem efetivamente linguagens de programação, ainda constituem boa parte do que se entende pelos pilares básicos da construção de uma aplicação web.

SQL

O SQL, ou Structured Query Language, também não é uma linguagem de programação, mas uma linguagem voltada à manipulação de bancos de dados relacionais – ou baseados em tabelas.

Esta é a mais popular linguagem de bancos de dados e, se você está lendo este conteúdo, provavelmente possui alguma informação armazenada em um database SQL.

Python

Muito popular entre desenvolvedores(as) que trabalham no campo da inteligência artificial e machine learning, o Python é uma das linguagens de programação mais queridas atualmente.

Isto porque ela possui características muito interessantes, como uma curva de aprendizagem relativamente rápida, sintaxe simples, alto nível e é multiplataforma, ou seja, opera em quase todos os sistemas operacionais existentes, desde que seu interpretador esteja instalado na máquina.

Java

Java é uma linguagem de programação, orientada a objetos e multiplataforma, criada em 1995 que tem como uma de suas principais características a adoção de elementos já existentes em outras linguagens em sua sintaxe, como por exemplo C e C++.

O que faz um desenvolvedor de software?

A priori, um(a) desenvolvedor(a) de software planeja, desenvolve, testa e coloca no ar aplicações web para o uso de um público-alvo previamente definido.

Mas estas não são as únicas ocupações disponíveis no horizonte do profissional que resolve seguir por esta formação.

Há também os cargos de liderança, planejamento, gestão de projetos e outras atividades do universo de tecnologia que não envolvem, necessariamente, a mão na massa técnica da programação.

Mas, se o seu interesse está voltado para a parte técnica do trabalho, listarei abaixo as diferentes etapas pelas quais um projeto passa, desde sua concepção à sua entrega, e que fazem parte do trabalho de um(a) desenvolvedor(a).

Coleta informações

Na hora de planejar o desenvolvimento de uma aplicação web, o primeiro passo é coletar informações acerca deste projeto.

As informações mais necessárias à equipe de tecnologia envolvida nessa construção são:

  • Público-alvo (informações demográficas e relacionadas ao comportamento digital destas pessoas);
  • Objetivo deste produto;
  • Possíveis desvios de conduta por parte dos usuários;
  • Que tipo de dados serão coletados e armazenados dentro desta aplicação (para identificar o nível de segurança necessário);
  • Qual banco de dados será utilizado, entre outras.

Cria o software protótipo

Após a coleta de dados esta aplicação tem suas metas bem estipuladas e um protótipo é desenvolvido.

Este protótipo serve para a identificação de falhas e melhorias por parte do cliente, além de apresentar uma versão menos robusta do produto para uma pequena parte de seus usuários, caso haja a decisão estratégia de testar a ferramenta no ar.
 

Testa

O(A) desenvolvedor(a) é responsável pelos testes feitos em sua aplicação, seja qual for a maneira escolhida para aplicá-los.

Todos os resultados destes testes são registrados em um backlog de falhas para, posteriormente, serem ajustados.

Ajusta

Como você deve imaginar, estes ajustes também são de responsabilidade do(a) desenvolvedor(a).

Vale lembrar, aqui, que um mesmo projeto pode ter à sua disposição uma série de desenvolvedores pertencentes a uma mesma equipe.

Apesar de todos estes passos serem de responsabilidade do mesmo tipo de profissional, nem sempre ele será executado pelo mesmo profissional.

Faz a manutenção e garante o funcionamento

Colocar uma aplicação para uso, porém, não é um trabalho que se encerra na entrega.

Para a grande maioria dos(as) desenvolvedores(as), a manutenção também faz parte do trabalho, uma vez que é essa manutenção que vai garantir o funcionamento de um software por todo o tempo em que ele estiver no ar.

Quando falamos de programação, apesar de esta ser uma ciência exata, muita coisa pode dar errado sem aviso prévio.

Aqui enquadram-se os desenvolvedores da categoria operacional, profissionais de TI focado na manutenção de sistemas internos, geralmente de grandes companhias.

Como é a carreira do desenvolvedor de software?

A carreira de um(a) desenvolvedor(a) de software tem tudo para ser a mais promissora possível, basta ser um profissional diferenciado em sua área de atuação.

E só há uma maneira de diferenciar-se: construindo uma base de conhecimento ampla e diversa capaz de resolver um grande número de problemas.

Se para realizar uma venda basta que um produto resolva um problema, para tornar-se um(a) desenvolvedor(a) disputado pelo mercado de trabalho basta ser versátil e possuir criatividade estratégia.

Qual o salário de um desenvolvedor de software?

A remuneração de um(a) desenvolvedor(a) de software depende, no Brasil, de fatores como: especialização, experiência profissional, região de atuação e conhecimentos específicos.

Para os profissionais iniciantes, o salário médio é de R$ 2.000,00. Para os profissionais com mais experiência,este valor pode chegar a até R$ 14.000,00.

Para os desenvolvedores(as) back-end, os números vão desde R$ 4.000,00 a R$ 14.000,00. Para front-end, de R$ R$ 4.000,00 a R$ 13.000,00. Lembrando sempre que estes são valores médios.

Os profissionais de mobile, bastante requisitados, têm sua média variando entre R$ 7.000,00 a R$ 14.000,00.

As regiões que mais distribuem vagas com altos salários, no país, são:

  • São Paulo (cidade)
  • Barueri
  • Florianópolis
  • Brasília
  • Rio de Janeiro

As 10 tecnologias mais valorizadas pelo mercado de trabalho, sendo elas linguagens de programação, frameworks e outras, são:

  1. Python
  2. Node.js
  3. Angular.js
  4. Pentest
  5. Ruby
  6. Java
  7. JavaScript
  8. ETL
  9. R
  10. Pig

*Valores baseados na média salarial da região brasileira que melhor remunera desenvolvedores, a metropolitana de São Paulo.

*Fonte: GeekHunter, 2020

Qual a formação de um desenvolvedor de software?

Existem, atualmente, graduações voltadas exclusivamente à formação deste tipo de profissional, como por exemplo os cursos de Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Gestão de Tecnologia da Informação, Sistemas da Informação, Ciências da Computação e Engenharia da Computação.

Mas, uma das maiores vantagens do ramo da tecnologia é justamente não ser necessário um diploma universitário para iniciar na carreira de desenvolvedor(a).

Além das graduações formais, existem ainda programas técnicos de formação de profissionais, escolas de programação e uma infinidade de conteúdos online para os autodidatas.

Aqui, vale sempre lembrar que contar com um tutor pode ser crucial para o melhor aproveitamento da sua aprendizagem, uma vez que ele será capaz de conduzir da melhor maneira seus estudos.

Como ser desenvolvedor de software com a Kenzie

Na Kenzie Academy Brasil você estuda as principais linguagens de programação do mercado com a garantia de uma metodologia comprovadamente eficaz!

Em apenas 12 meses nosso curso de programação full stack te capacita a ingressar no mercado de trabalho com um leque de conhecimentos que vão desde o front ao back-end, adicionando ao seu currículo um diferencial importantíssimo para desenvolvedores(as) em início de carreira.

Além de tudo isso, com a Kenzie você ainda tem a oportunidade de só pagar pelos seus estudos após concluí-los, através do método de pagamento ISA: com ele você só compromete parte da sua renda com o pagamento do curso após estar alocado no mercado de trabalho com uma remuneração mínima de R$ 3.000,00!

Conclusão

Na hora de decidir o seu futuro, não deixe de lado as implicações que esta escolha acarretará.

Como desenvolvedor(a) de software, existem todas as chances do mundo de você se tornar um profissional muito próximo, mas isso trará consigo uma vida de muitos estudos e atualizações. Boa sorte!

A Kenzie Academy é uma escola americana de programação, em que você estuda por 12 meses, em tempo integral, as principais linguagens e tecnologias do mercado para entrar no mercado de tecnologia atuando como um Full Stack.

0

Escreva o primeiro comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *