O que é HTML5 e quais suas principais mudanças

O que é HTML5 e quais suas principais mudanças?


Dentro do universo da programação, é comum que linguagens amplamente difundidas se modifiquem, ganhem novas versões e se aperfeiçoem.

Este é o princípio que rege toda a tecnologia: se aprimorar sempre e é por isso que, quando ingressamos no mercado de programação, não paramos mais de estudar.

Uma das linguagens que mais sofreu modificações, no entanto, foi o HTML.

Hoje em sua quinta versão, o HTML5, essa que foi uma das primeiras linguagens de programação do mundo continua extremamente relevante e faz parte de grande parte das aplicações que utilizamos na web.

Para saber mais o que é HTML5 e quais as principais mudanças sofridas por essa linguagem desde a sua primeira versão, fique conosco ao longo deste conteúdo.

Vamos lá?

O que é HTML5?

HTML5 é a quinta e última versão do HTML, sigla de Hypertext Markup Language, uma das primeiras e principais linguagens de marcação da web.

O HTML serve, basicamente, para o desenvolvimento de páginas que contenham conteúdos simples, como textos, imagens, áudio, vídeos e etc.


Em suma, essa linguagem formata e torna possível a visualização deste tipo de conteúdo por quase todos os navegadores existentes no mercado hoje em dia, fazendo parte dos primórdios da web e de suas estruturas mais básicas.

Estrutura básica

Tanto o HTML5 quanto o próprio HTML puro, em sua versão original, precisam de uma estrutura básica muito semelhante para funcionar corretamente.

Abaixo, listamos os três elementos mais elementares desta estrutura.

O DOCTYPE

O DOCTYPE é o primeiro elemento dentro de um arquivo HTML e deve constar na primeira linha de código. 

Ele serve justamente para comunicar aos navegadores que aquele documento está escrito em código HTML, sendo um elemento de instrução.

Ele é representado como no exemplo abaixo:

<!DOCTYPE HTML>

Elemento HTML

Após o DOCTYPE ser especificado, o próximo elemento que deve constar nas primeiras linhas de código é o HTML.

Este elemento é seguido pelo atributo lang, que informa ao navegador em qual idioma aquela página estará escrita.

Por padrão, páginas em português brasileiro possuem o elemento HTML descrito da seguinte forma:

<html lang=”pt-br”>

HEAD

O HEAD é a primeira seção de código propriamente dita.

É nela que ficam os metadados do código, informações úteis tanto sobre a página quanto sobre o conteúdo inserido nela.

Essas informações são dadas aos navegadores, às ferramentas e aos mecanismos de busca que lêem os códigos das páginas, como o Google, por exemplo.

Principais Diferenças entre HTML e HTML5


Desenvolvido com o objetivo de facilitar a vida daqueles que manipulavam o HTML, ou seja, os(as) desenvolvedores(as) web, o HTML5 apresenta diferenças significativas com relação às suas versões anteriores.

A primeira delas é o suporte a áudio e vídeo de alto nível, um atributo que não fazia parte de nenhuma das quatro versões anteriores desta linguagem.

Outras diferenças são o suporte a gráficos vetoriais, que até então só poderiam ser usados em conjunto com tecnologias como o Flash, por exemplo.

O HTML5 também suporta novos tipos de controles utilizados em formulários, como por exemplo data e hora, e-mail, números, url, telefone e etc.

A introdução de alguns elementos também tem grande importância nessas mudanças. Alguns elementos novos são: sumário, tempo, áudio, comando, dados, datalist, entre outros.

Vantagens do HTML5 para Desenvolvedores

Quando falamos que o HTML5 foi criado para facilitar a vida dos(as) programadores(as), isso significa, na prática, que ele traz mais flexibilidade ao desenvolvimento dos projetos e à construção dos códigos.

Abaixo, listaremos alguns exemplos que ilustram de maneira clara algumas das principais vantagens do HTML5 para desenvolvedores.

Manipulação de Erro Persistente

Até a criação do HTML5, os desenvolvedores precisavam testar os códigos HTML em diferentes navegadores para criar processos de manipulação de erros melhorados.

Com o HTML5, é possível trabalhar com o que chamamos de manipulação consistente de erro, ou seja, um processo padronizado para lidar com as análises de código.

Semântica Melhorada para Elementos

No HTML5, os até então fundamentais elementos div foram substituídos por novos elementos, mais simples e que facilita o processo de digitalização.

Entre estes elementos estão seção, artigo, navegação e cabeçalho, por exemplo.

Suporte Aprimorado para Recursos de Aplicativos da Web

Para permitir que os navegadores funcionam como plataformas de aplicativos, o HTML5 chegou com um suporte de desempenho de sites muito sofisticado.

Graças a isso não é mais necessário o uso de tecnologias alternativas, como o JavaScript ou o Flash, por exemplo, para empregar soluções para aplicativos da web.

Navegação Móvel Facilitada

O HTML5 também tornou o suporte móvel, ou seja, a sites responsivos, muito mais simples.

Ao ser muito mais capaz de atender aplicações de dispositivos móveis, como tablets e smartphones, o HTML5 traz padrões melhorados de navegação para os usuários.

O elemento Canvas

Outra razão pela qual o HTML5 tornou secundário o uso de tecnologias como o Flash, por exemplo, é o elemento <canvas>.

Este elemento tão inovador permite que o desenvolvedor ou desenvolvedora desenhe componentes gráficos, como imagens, textos, círculos e caixas com muito mais facilidade.

Esse elemento, no entanto, é puramente gráfico, ou seja, não é capaz de definir ou montar um gráfico, sendo necessário utilizar um script em conjunto para executar essa ação.

O elemento Menu

O elemento <menu> é um elemento interativo cujo objetivo é representar comandos de menu, em aplicativos ou computadores de mesa, com simplicidade tanto o desenvolvedor quanto para o usuário.

Atributos de Dados Personalizáveis

Antes do HTML5, adicionar atributos personalizados era possível, mas frequentemente eles geravam grandes erros que impactavam todo o funcionamento de uma página.

Agora, o atributo data-* acabou com este problema. O principal uso deste atributo, hoje, é o armazenamento de informações extras sobre elementos diversos.

Armazenamento Local para Substituir Cookies

Outro ponto inovador do HTML5 é substituição dos cookies pelo web storage, ou armazenamento local.

Essa mudança permite que o dados de navegação sejam armazenados diretamente no computador do usuário de maneira permanente (por padrão), e não nos servidores web, como fazem os cookies.

Além de economizar espaço, essa mudança evita que pesos extras comprometam o desempenho do servidor.

Vantagens do HTML5 para o usuário final

Como citamos alguns tópicos acima, uma vez que o HTML5 facilita a vida do profissional programador, ele também torna mais simples a navegação do usuário.

Algumas grandes vantagens dessa versão para o usuário final são a redução de problemas navegacionais em dispositivos móveis, por conta do melhor suporte proporcionado; a redução da necessidade do uso de tecnologias como o Flash, por exemplo, que podem baixar o desempenho de velocidade dos sites e o melhor uso de elementos de áudio e vídeo, excluindo a necessidade de plugins adicionais.

Conclusão


Esteja sendo utilizado em sua primeira ou em sua última versão, o HTML é uma tecnologia cuja importância não diminui ao longo do tempo, sendo ainda uma das principais linguagens utilizadas por desenvolvedores em todo o mundo.

Se você é um(a) estudante de programação, não pode dar seus primeiros passos no mercado de trabalho sem possuir um conhecimento bastante razoável sobre HTML, ainda que sua especialização seja outra tecnologia.

0

Escreva o primeiro comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *