O que é uma API, como funciona e para que serve?

O que é API, como funciona e quais os principais tipos de API?


Essenciais quando se fala em desenvolvimento de software, as APIs estão super presentes no dia a dia dos programadores. Afinal, existem vários protocolos, funções e comandos que precisam ser implementados para que essa interação funcione.

Além disso, as APIs fazem parte da rotina da maioria das pessoas. 

Quer um exemplo? 

Sabe quando você acessa um aplicativo de mobilidade urbana?

Tanto você quanto o motorista tem  acesso ao endereço de cada um em tempo real, correto?

 Pois então, isso só foi possível graças ao API do Google Maps.

O que é API?

A sigla API deriva da expressão inglesa Application Programming Interface, que traduzida para o português significa: interface de programação de aplicação. 

Ela nada mais é do que um conjunto de normas, ou seja, um contrato definido entre ambos os sistemas para facilitar a comunicação entre o usuário e o software.

Por meio delas é possível obter e enviar dados de uma maneira ágil, simples e segura.

Como funciona uma API?

A API funciona como uma espécie de “mensageira”, que recebe requisições de um cliente e transmite até um servidor, onde será processada e devolvida.

Além disso, quem atua na área de programação costuma deixar esse recurso disponível para que outros programadores possam criar outras plataformas ou integrá-las a outros softwares.

Os tipos de APIs 

Existem APIs para diferentes fins, no entanto, podemos defini-las em 4 categorias.

Quer descobrir para que serve cada uma? Continue a leitura que a gente te explica.

APIs públicas ou abertas

Como o próprio nome já diz, as APIs públicas ou abertas ficam disponíveis para todos os usuários que desejarem acessar um sistema. Geralmente elas ficam totalmente abertas, mas pode haver solicitação de uma chave de API, ou seja, a restrição é mínima.

APIs privadas ou internas

As APIs internas, também conhecidas como APIs privadas, limitam o seu uso apenas para pessoas autorizadas. Esta interface dá acesso a sistemas e dados internos, e são mais utilizadas em ambientes empresariais para estimular a produtividade, integrar diferentes departamentos e aumentar a comunicação interna.

APIs de parceiros

Usadas para facilitar a integração e a comunicação entre parceiros de negócios, as principais vantagens de usar essas APIs são: mais chance de expandir o negócio por meio de parcerias, mais controle sobre quem utiliza o sistema, assim como elevar o nível de sistemas existentes e monetizar os dados adquiridos.

APIs compostas

As APIs compostas combinam várias informações e sistemas, e são mais usadas em arquiteturas de microsserviços, onde o usuário terá acesso a diferentes dados para executar uma tarefa. O uso dessas APIs pode auxiliar na redução da carga horária de colaboradores e, inclusive, melhorar a performance do aplicativo.

Quais as vantagens de usar essa integração?

As APIs têm o poder de transformar o universo digital em que vivemos, afinal, elas facilitam a navegabilidade entre o acesso e o envio de informações, possibilitam a monetização de acessos, aumentam a segurança, facilitam a automação de processos comerciais, ajudam a reduzir custos, auxiliam no aumento da produtividade e, claro, otimizam as nossas experiências digitais tornando tudo mais simples, prático e atrativo.

Quais são os principais exemplos de API na prática?

As APIs estão presentes no nosso dia a dia muito mais do que você imagina. Os aplicativos de filmes e séries são um ótimo exemplo. Afinal, a partir do momento que você acessa o conteúdo pelo seu aparelho de TV sem a necessidade de usar um navegador para isso, há uma API traduzindo e facilitando a comunicação entre as plataformas.

Outro exemplo, é a API do Facebook, já reparou que quando você vai fazer o login em alguma outra plataforma aparece a opção de realizar o login com os dados do Facebook? 

O Airbnb também pode ser citado como exemplo, porque por meio da geolocalização

é possível encontrar imóveis do seu interesse e filtrar as opções que mais lhe agradam. 

APIs de integração

As APIs de integração são responsáveis por intermediar a comunicação entre dois sistemas distintos, sejam eles, aplicativos, softwares, sites ou qualquer outro tipo de programa, como por exemplo, o Nubank, que permite a realização de recebimento e pagamento com toda praticidade e segurança necessária.

APIs de leitura e modificação de dados

Toda vez que você acessa um link no Google Drive, por exemplo, tem acesso às APIs de leitura e modificação, é por meio delas que é possível visualizar arquivos e imagens.

APIs de integração com hardware

Quando realizamos o download de uma plataforma, respondemos se estamos de acordo com o acesso a sensores de localização, de áudio e de vídeo. Ou seja, isso só é possível graças às APIs de integração com hardware.

Conclusão

Como você pode ver, há diferentes tipos de APIs e suas vantagens podem ser aproveitadas em diferentes ambientes e situações. Além disso, elas são fundamentais para os profissionais do universo da programação, porque é por meio delas que é possível criar soluções tecnológicas incríveis.

+1

Escreva o primeiro comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *