O que é Pitch Pessoal e como fazer um pitch completo?

O que é Pitch Pessoal e como fazer um pitch completo?


Se você já passou pela experiência de ser entrevistado para alguma vaga, com certeza já sentiu falta de um pitch pessoal.

E saiba que esse item indispensável no repertório de qualquer profissional não precisa ser utilizado apenas quando se quer conquistar uma vaga, mas também pode ser muito útil quando desejamos uma promoção, precisamos vender alguma ideia ou até mesmo fazer networking em ambientes corporativos.

Para falarmos com mais detalhes sobre o que é pitch pessoal e como você pode desenvolver um pitch poderoso, fique conosco ao longo deste conteúdo.

Vamos lá?

O que é um pitch pessoal?

Pitch pessoal é uma técnica de apresentação pessoal, curta e direta, na qual você se apresenta e apresenta suas principais características e habilidades profissionais.

Podemos compreender o pitch pessoal como a resposta para a famosa pergunta “por que devemos contratá-lo?”, ouvida frequentemente por quase todo profissional que passa por um processo seletivo.

Pra que serve o pitch pessoal?

O pitch pessoal serve, a princípio, para que o candidato possa vender seu peixe de maneira rápida, clara e eficiente. 

Em outras palavras, sem rodeios e mostrando ao recrutador que você é a pessoa certa para o cargo que está sendo ofertado.

Muitas vezes, precisamos utilizar nosso pitch pessoal em situações repentinas e não-planejadas, como por exemplo encontrar casualmente um grande líder em um evento corporativo ou sentar ao lado de um recrutador em um ambiente que favorece o networking.

Circunstâncias deste tipo são o motivo pelo qual todo profissional deve ter um pitch pessoal na ponta da língua, e não pensar em um somente antes de uma entrevista.

Tipos de pitch

Antes de desenvolver o seu pitch pessoal, é preciso saber que esta é uma técnica que pode ser constantemente aprimorada por você.

Existem, inclusive, diversos tipos de pitch a serem utilizados em diferentes situações, onde cada um deles se encaixa melhor em variados tipos de conversas e ambientes.

Para tangibilizar melhor esse fato, listamos abaixo os três tipos mais comuns de pitch pessoal.

Elevator pitch

O Elevator Pitch, ou pitch de elevador, é aquele mais curto e direto. 

Seu nome faz referência ao fato de que ele deve ser uma apresentação curta o suficiente para ser dita em uma viagem de elevador.

Deve durar entre 30 segundos e 1 minuto e deve ser focado na grande proposta de valor que pode ser oferecida naquele momento.

A depender da pessoa para quem ele vai ser dito, essa proposta pode ser uma grande habilidade sua, um projeto a ser desenvolvido ou um produto a ser oferecido.

One sentence pitch

O One Sentence Pitch, como seu próprio nome já referencia, é aquele feito em uma sentença.

Na prática, o one sentence pitch pode ter até três linhas e deve focar, por conta da sua limitação, em uma ideia central bem sucinta e clara.

Desenvolver um one sentence pitch pode ser um grande desafio para aqueles profissionais que possuem dificuldade em se expressar de maneira rápida, mas ele também é capaz de desenvolver essa habilidade.

Ele deve contar, é claro, o seu nome, sua profissão e expor o diferencial da sua proposta, seja ela um produto ou o seu próprio currículo.

Pitch deck

Se você já fez alguma apresentação, no trabalho ou na faculdade, pode já ter utilizado um pitch deck e não sabe: pitch deck são aqueles slides usados para fornecer suporte a um discurso.

Nem sempre podemos utilizar um pitch deck em uma entrevista de emprego, mas em apresentações ao alto escalão de uma companhia ou até mesmo à sua própria equipe, ele é muito utilizado e pode representar um grande auxílio.

Lembre-se, no entanto, que o pitch deck não deve conter a sua fala na íntegra, mas apenas elementos visuais que exemplifiquem o que está sendo dito, além de palavras-chave que ajudem a audiência a fixar melhor a ideia central.

Como fazer um pitch pessoal

Agora que você já sabe o que é um pitch pessoal, pode ser se dado conta de que ainda não possui um pronto.

Se você é um estudante e/ou está ingressando na carreira de tecnologia agora, não perca tempo e siga as dicas que listamos abaixo para desenvolver o seu melhor pitch pessoal.

  1. Faça diferentes versões, com durações diferentes

Assim como em uma conversa informal não utilizamos fórmulas prontas, mas sim nos adaptamos ao assunto, à pessoa e ao ambiente, ao proferir o seu pitch pessoal é importante que ele esteja ambientado ao seu contexto.

Para não correr o risco de se apresentar como um robô, treine diferentes versões do seu pitch, com diferentes durações e com diferentes níveis de formalidade.

  1. Estruture o pitch com começo, meio e fim

Seu pitch deve corresponder a uma narrativa que contém início, meio e fim.

Assim como um artigo deve começar com uma introdução e terminar com uma conclusão, não é possível se apresentar sem começar pelos elementos mais básicos a serem comunicados.

Primeiro as primeiras coisas: comece com seu nome e profissão e só então vá para os elementos mais complexos, como proposta de valor, habilidades e diferencial.

  1. Comece prendendo a atenção de quem ouve

Quando escrevemos um texto, devemos nos atentar ao fato de que a parte mais importante dele é o título.

Isso acontece porque se não formos capazes de prender a atenção de quem lê logo no início, a taxa de abandono deste conteúdo será imensa. 

O mesmo ocorre com nossos discursos pessoais: se você não captar a atenção do recrutador no início, dificilmente será capaz de fazê-lo mais adiante.

  1. Personalize o pitch pessoal para a empresa

Diferentes empresas possuem diferentes objetivos e diferentes propostas. Por isso, nem sempre o pitch pessoal utilizado em uma entrevista poderá funcionar para outra.

Antes de estabelecer o seu pitch, faça uma pesquisa prévia sobre a empresa em que você estará e adapte seu discurso às suas necessidades.

  1. Use palavras-chave baseadas na vaga

Muitas vezes um recrutador ouve dezenas de pitchs pessoais no mesmo dia. 

Para fazê-lo compreender que o seu está adequado ao que ele está exigindo de seus candidatos, utilize palavras-chave baseadas na vaga – isso chamará a sua atenção.

Algumas dicas de palavras-chave podem ser o nome de ferramentas utilizadas pelo cargo em questão, habilidades específicas exigidas para a vaga, tecnologias importantes que devem ser dominadas pelo candidato e etc.

  1. Conheça seus pontos fortes e fracos

Não é possível desenvolver um pitch pessoal eficiente se você mesmo não sabe quais são os pontos fortes e fracos a serem adicionados nele.

Para ter um bom pitch pessoal e se vender de maneira eficiente, é necessário uma boa dose de autoconhecimento. 

Invista tempo em se conhecer e reflita sobre o que pode ser melhorado em você mesmo e quais habilidades suas podem ser úteis a outras pessoas.

  1. Apresente resultados em forma de conquistas

Ao listar suas conquistas e resultados adquiridos em outras experiências, faça isso sempre utilizando verbos na primeira pessoa e faça isso de maneira apaixonada.

O entusiasmo na hora de apresentar seus resultados pode fazer toda a diferença para o recrutador.

  1. Não use jargões da área

Ninguém gosta de clichês.

Fazer um discurso repleto de jargões pode transmitir ao recrutador a ideia de que você não conhece com profundidade a área em que trabalha, mas só seus chavões mais superficiais.

Converse e fale como quem é um grande especialista e verá o seu recrutador acreditar nisso!

  1. Pratique falar em público

Falar em público não é natural para todo mundo. 

Embora algumas pessoas apresentem essa facilidade, outras precisam treinar muito a habilidade do discurso para conseguir expor suas ideias em público sem demonstrar nervosismo.

Se você faz parte deste grupo, a dica é uma só: treine, treine e treine. Somente o treino é capaz de elevar as habilidades práticas de alguém e falar em público é uma das mais importantes na hora de desenvolver um pitch pessoal.

  1. Prepare-se para mais perguntas

Apesar do seu pitch responder às principais dúvidas dos recrutadores, é óbvio que eles poderão fazer questionamentos que fogem do lugar-comum.

Por isso, não se restrinja somente ao seu discurso e esteja preparado para responder quaisquer perguntas feitas pelo recrutador.

Essa preparação, no entanto, só acontece quando temos um profundo conhecimento sobre a área em que trabalhamos ou queremos ingressar, seu mercado de trabalho e todo o ecossistema tecnológico que a envolve. 

  1. Termine o pitch pessoal com um “convite”

Por fim, para que o seu pitch tenha o efeito que você espera, finalize ele com um convite ao recrutador: se disponibilize a falar mais sobre determinado pormenor da vaga, sobre como você pode expor uma solução para determinado problema e como você gostaria de mostrar que o seu diferencial pode fazer uma grande diferença no setor que está contratando.

Conclusão

Antes de estabelecer um bom pitch pessoal, é preciso, no entanto, não subestimar o seu poder: apresentar-se é fundamental para quem deseja ter uma carreira escalável e conquistar pessoas.

Portanto, não deixe o seu pitch pessoal por último: reflita sobre o que deve constar nele e esteja preparado!

+1

Escreva o primeiro comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *