Transição de carreira: o que é, quais os casos, os mitos e como fazer a transição?

Transição de carreira: o que é, quais os casos, os mitos e como fazer a transição?


O mundo pós-revolução Industrial começou a questionar os modelos tradicionais de trabalho e passou a considerar muito mais o bem-estar e a valorizar a satisfação pessoal.

A forma como nos relacionamos com o trabalho e a importância que damos à vida profissional vem mudando com o tempo e hoje ultrapassa a preocupação somente com o ganho material.

Com isso, ganhamos mais autonomia para escolher nossa ocupação ou mesmo para fazer uma transição de carreira a qualquer momento, independente da idade.

De acordo com o professor e filósofo brasileiro Mario Sergio Cortella, “uma vida com propósito é aquela em que eu entenda as razões pelas quais faço o que faço e pelas quais claramente deixo de fazer o que não faço”.

É em busca desse propósito que profissionais optam por encerrar uma carreira e partir para outra totalmente nova.

O que significa transição de carreira?

Transição de carreira é quando o indivíduo se muda da área de atuação com a qual já está familiarizado para uma outra. Pode ser tanto dentro de um mesmo mercado como fora dele.

O que implica nessa mudança vai de cada um e todos os motivos são válidos. Já se foi o tempo em que mudar de profissão era visto como algo gigantesco e impossível de se fazer. 

Graças às tecnologias e acesso à informação, ficou muito mais fácil estudar à distância, se especializar e encontrar um novo emprego com muito mais rapidez.

Quais os casos de transição de carreira?

São muitos os fatores que levam alguém a fazer uma transição de carreira. 

A vontade pessoal ou mesmo a insatisfação com o trabalho atual já são o bastante, mas podem existir circunstâncias externas, como a economia global e o surgimento de novas tecnologias que alteram o modo de trabalho para algumas ocupações, obrigando-as a se adaptar ou a mudar.

Vejamos os motivos mais comuns que levam as pessoas a começarem uma trajetória profissional diferente:

  • Falta de perspectivas

Alguns mercados podem ser mais vantajosos que outros em relação às oportunidades.

Se a pessoa não se sente valorizada no seu local de trabalho ou percebe que é mais uma questão geral sobre sua área e não somente ligada à empresa na qual atua, isso pode levá-la a buscar uma transição para uma carreira mais promissora e que melhor se adeque às suas necessidades.

  • Descoberta de novos interesses

Estamos em constante transformação, ainda mais com a quantidade de conteúdos que acessamos no mundo virtual diariamente.

Em qualquer idade, é possível descobrir novos interesses e atividades que tenham mais a ver com a nossa personalidade.

  • Mudança de rotina

Não apenas mudamos de interesses ao longo da vida, mas também o nosso dia a dia pode ganhar outros contornos e rotinas, como o aumento de membros da família, mudança de cidade ou país e até mesmo questões de saúde.

Tudo isso requer adaptação a esses novos contextos e fases da vida e podem fazer com que precisemos trabalhar mais ou menos até mudarmos de profissão.

  • Salário e benefícios

Sabemos como o mercado é competitivo e que salários e benefícios mudam dentro de cada área. Por isso, muitos profissionais migram de carreira em busca de rendimentos maiores.

Quem trabalhou, por exemplo, por muito anos sendo autônomo, pode um dia se interessar pelos benefícios oferecidos no modelo CLT, como plano de saúde, auxílio-creche, vale-alimentação, etc.

De olho nessas vantagens, a pessoa opta por mudar de área, uma vez que a atual pode não oferecer as mesmas condições.

Quais os estágios da transição de carreira?

Ainda é comum certa resistência de se levar a cabo grandes mudanças na vida. É normal buscarmos estabilidade e conforto, o que não deve significar estagnação e resignação com o que já temos.

Desconforto

O momento que percebemos que não estamos mais satisfeitos com nossa vida profissional pode ser doloroso, mas é o ponto de partida para a transformação.

É nessa hora que nos questionamos por que fazemos o que fazemos e o propósito da atividade exercida até então.

Reflexão

Em todas as profissões existem pontos negativos e positivos, mas até onde devemos nos sujeitar a fazer algo de que não gostamos ou com o qual não nos identificamos mais?

Não existe obrigação em permanecer onde estamos, principalmente se isso compromete nossa saúde mental e, consequentemente, nossa felicidade. Portanto, é importante buscar a satisfação profissional, visto o peso que o emprego tem sobre a vida pessoal de cada um.

Tomada de decisão

É chegada a hora de agir, traçar planos para o que se pretende, comunicar-se com as pessoas próximas e, de fato, juntar a coragem e começar a planejar a transição de carreira.

Quais os mitos da transição de carreira?

Veja quais são os pensamentos mais comuns durante o processo de mudança de carreira:

  • Desperdício de tempo

Muitos pensam pelo viés da perda do tempo dedicado ao trabalho atual, ainda mais se houve anos de preparo, estudo e dedicação à área.

Mas, veja, tudo isso foi importante para que você chegasse até aqui e se tornasse quem é hoje como indivíduo.

A transição de carreira não irá apagar os anos dedicados ao trabalho anterior ou o conhecimento adquirido durante o processo. Se algo fez sentido para você em um momento, não significa que fará para sempre.

  • Não importa a satisfação pessoal

Um dos maiores mitos é pensar que trabalho é somente o que fazemos como fonte de renda.

A satisfação pessoal está diretamente ligada com o trabalho, visto que o ser humano, ao chegar na velhice, terá passado 10 anos de sua vida apenas trabalhando. 

Se não estamos felizes, não desempenhamos devidamente nenhuma de nossas funções, seja na vida pessoal ou na profissional.

  • É muito dinheiro investido

Não necessariamente é preciso investir muito dinheiro para mudar de profissão. Tudo irá depender da área para qual se quer migrar.

Uma nova graduação pode significar um gasto elevado, mas existem outras alternativas, como cursos técnicos, cursos de extensão, cursos livres, consultorias especializadas, entre outros meios de se obter informação para adquirir o conhecimento necessário à nova função.

Muitas pessoas optam por cursos EAD, já que oferecem a praticidade de estudar em qualquer lugar, desde que a pessoa tenha acesso à internet, além de mensalidades com preços mais competitivos.

Como fazer a transição de carreira?

A competitividade alta no mercado de trabalho torna a transição de carreira um desafio, que é, no entanto, totalmente possível, dado que as empresas brasileiras encontram dificuldade de preencher cargos com profissionais devidamente capacitados.

A taxa de escassez de mão de obra qualificada no país ainda é muito elevada quando comparamos com outros países. Isto significa que existe mercado para quem busca se especializar em algo.

É preciso, portanto, paciência e, logo em seguida, planejamento

Veja a seguir outras dicas que separamos sobre como escolher a próxima carreira.

Saiba o que fazer

Se ainda existirem dúvidas sobre qual caminho seguir, o teste vocacional para transição de carreira pode ser uma ótima alternativa.

Transição de carreira não significa, necessariamente, abandonar a área de atuação onde você está inserido, mas pode ser uma mudança de função, de tarefas ou perspectivas dentro dela mesma.

Identifique suas motivações

Tenha clareza sobre quais foram os motivos que te levaram a mudar, pois isso irá ajudar você a entender para onde deseja ir.

Se você quer mais tempo livre, veja quais opções no mundo do trabalho possibilitam isso. Ou, se você busca melhores salários, busque quais áreas têm mais a ver com você e te possibilitam, ao mesmo tempo, um retorno maior, a curto ou médio prazo.

Todas as ações vão depender de onde se quer chegar. Para isso, é preciso ter suas motivações evidentes.

Estude e pesquise

Não pense que descobrir o que se quer é uma tarefa simples. Portanto, use as ferramentas certas para te ajudar a compreender melhor aonde quer chegar.

É a hora de acionar pessoas conhecidas, retomar contatos antigos e conquistar novos, o que não é tão complicado assim com a internet à disposição.

Pesquise sobre a nova carreira, pergunte para quem já está na área e tire todas as dúvidas possíveis antes de tomar ações maiores e fazer investimentos de tempo e dinheiro em estudos.

O LinkedIn, por exemplo, é um ótimo meio de se pesquisar sobre mercados, além de se conectar profissionalmente às empresas e a outros profissionais, bem como participar de processos seletivos e investigar tendências.

Especialize-se

Após refletir e pesquisar, chegou a hora de juntar esforços e se aprofundar na área preferida.

Veja que você não é mais um jovem inexperiente e que isso só te favorece durante a transição de carreira. 

Provavelmente você já passou por desafios e obteve aprendizados que farão total diferença para sua nova profissão, e eles podem ser tão valiosos quanto os estudos.

Sendo assim, junte suas habilidades e conhecimentos acumulados e veja quais novas skills serão necessárias para sua nova missão.

Quais as profissões do futuro?

Profissões ligadas à Tecnologia nunca estiveram tão em alta. Isto porque temos uma vida cada vez mais automatizada e online, o que acelerou os processos de transformação digital das empresas.

Existe uma alta rotatividade no setor de Tecnologia da Informação, devido à demanda constante e falta de profissionais qualificados. Por isso, é aqui que estão as profissões do futuro.

Analista e cientista de dados, programadora(or), designers, desenvolvedora(or), engenheira(o) de software, entre outras ocupações, são as que conseguem mais oportunidades, e a tendência é que isso aumente com o passar dos anos.

Como a Kenzie pode te ajudar na transição

A Kenzie Academy tem o objetivo de formar profissionais completos para o mercado de tecnologia, sem perder de vista o desenvolvimento de capacidades pessoais.

Além da vantagem de poder fazer o pagamento do curso após sua conclusão, a grade curricular abarca soft skills fundamentais para quem está passando pela transição de carreira, como treinamento para entrevista técnica, além de contemplar conhecimentos úteis, como montar carta de apresentação profissional, configuração de novo currículo e LinkedIn, entre outros.

Conclusão

Embora possa sempre haver algum receio para mudar, isso é uma parte natural de todo o processo de descoberta do que se busca. A transição de carreira pode ser uma oportunidade de autoconhecimento e o começo de perspectivas melhores, não somente financeiras.

Como vimos, não existe um único caminho a se seguir. Nossas preferências e necessidades mudam ao longo do tempo, bem como nossa condição física, emocional e familiar e, muitas vezes, a carreira precisa acompanhar essas mudanças.

Quando nosso crescimento individual se expande e atinge positivamente o coletivo, sentimos que estamos trabalhando com propósito. E nunca é tarde para que busquemos isso.

+4

Escreva o primeiro comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *